Casa LA

Casa LA


Localização: Condomínio Jardins do Lago – Quadra 1,  Jardim Botânico, Brasília, DF

Área: 370 m²

Projeto: 2013

Construção: 2014

Autores: Filipe Monte Serrat e Camilo de Lannoy

Colaboradores: Manuela Dantas, Silvana Moraes, Carolina Dumay e Raquel Alves

Obra: Construtora Castor

Fotos: Joana França

Elaborado para um casal e suas duas filhas, o projeto desta casa tirou partido do declive do terreno localizado em condomínio fechado, com desnível de aproximadamente dois metros entre o seu ponto mais alto, junto à calçada, e o ponto mais baixo, junto ao muro que delimita o perímetro do condomínio e faz divisa com logradouro público. A intenção, com isso, foi melhor distribuir o programa, tornar a casa mais acessível e gerar uma fachada mais generosa e com escala mais apropriada para a rua de um condomínio fechado.

O programa, portanto, se distribui em três níveis, sendo o térreo nivelado com a cota do acesso principal, definido por um grande platô que se inicia na calçada e se estende até o fundo do terreno, avançando sobre a garagem e configurando o deck da área de lazer.

Três suítes ficam no volume do pavimento superior que, por sua vez, fica recuado da rua e repousa sobre o muro que conduz ao acesso principal do térreo e ao mesmo tempo sobre o bloco de serviço e cozinha. O resultado deste volume suspenso é o vão no térreo que constitui a sala de estar e jantar. A garagem foi retirada da fachada e se esconde sob a plataforma do solário, no nível inferior, mais uma vez aproveitando o declive natural do terreno. A intenção de liberar a fachada, uma vez que o lote possui 17,5m de frente, se fez possível por meio da rampa lateral de acesso de veículos.

O vazio formado entre a área social e o volume da sala de tv e suíte de hóspedes, voltados para a rua, recebeu um generoso jardim, fundamental para a iluminação e ventilação natural dos espaços internos. O painel de azulejo com desenho de autoria do proprietário faz o pano de fundo do jardim e dos ambientes sociais, podendo ser visto desde a área de lazer. A circulação vertical ocorre pela torre com escada engastada em pilar central que, ao mesmo tempo, sustenta a laje técnica e reservatórios no seu topo. O fechamento em vidro e chapa perfurada confere a privacidade desejada sem perda de transparência ao elemento vertical de grande relevância na composição volumétrica final.

Ainda na fachada principal, o espelho d’água ameniza o clima predominantemente quente e seco de Brasília e reflete o painel de madeira, elemento que reforça a franca relação da casa com a rua. Seus painéis pivotantes protegem os ambientes internos do sol da tarde sem impedir que se tenha a visão para o exterior.

Casa LA

Casa LA

Casa LA

Casa LA

Casa LA

Casa LA

Casa LA

Casa LA

Casa LA

Casa LA

Casa LA

Casa LA

Casa LA

Casa LA